quarta-feira, 30 de julho de 2014

A minha oração


"Simplesmente me ajoelho.
As palavras querem sair mas meu pensamento
só me faz lembrar das maravilhas de Deus.
Minhas necessidades são tão poucas diante do que Deus fez por mim.
Seu único Filho ofertado em uma cruz, como um maldito.
Ah.. aquele madeiro.
Se não fosse aquele madeiro...
O que seria de mim?
O que seria de nós?
Começo então a lembrar daqueles que ainda
não sabem o que Deus fez por amor.
Como podem não querer amor assim?
Como não vivê-lo?
Não dá para pedir algo para mim, sabendo que há tantas pessoas
que nem ao menos sabem que Deus traz vida.. que seu amor traz paz.
As lágrimas começam a rolar,  não tem como resistir.
A adoração se torna intercessão.
Vontade de gritar o quão meu Deus é bom!
Quando me vejo, estou com o coração totalmente aberto ao Pai,
sinto sua paz e seu amor inundando o meu ser.
Expresso a minha necessidade..
Tão pequena perto das necessidades do meu próximo.
A certeza de que Ele está bem perto de mim me dá a certeza de
que estou sendo ouvido..
seu calor.. seu acalento.. isso move o meu coração a se entregar em profundidade.
A certeza que Ele me conhece e sabe das minhas necessidades me completa,
posso ficar em paz.. posso louvar ainda mais.
Não preciso me preocupar:
Deus cuida de mim!"

                                                                                                          André Gustavo

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Fiel a pé não terá acesso a templo da Universal


Após quatro anos de obras que custaram R$ 680 milhões, o Templo de Salomão, construído no bairro do Brás, região central de São Paulo, pela Igreja Universal do Reino de Deus, vai ser inaugurado no dia 31 somente para convidados e autoridades.
O espaço de 100 mil metros quadrados também não tem data para ser aberto aos fiéis - quem quiser assistir aos cultos terá de pagar a passagem para a empresa de fretamento contratada pela Universal, ao valor de R$ 45 por pessoa, para quem mora na capital.
Nesta quinta-feira, 24, a cúpula da igreja promoveu uma entrevista coletiva em Santo Amaro, na zona sul, para explicar detalhes sobre o templo, o maior espaço religioso do País, quatro vezes maior do que o Santuário Nacional de Aparecida.
O local acomodará um público de 10 mil pessoas, sentadas. O ambiente é suntuoso, com mármore rosa italiano, 10 mil lâmpadas de LED e oliveiras importadas de Israel.
Autoridades
Para a inauguração do dia 31, autoridades como a presidente Dilma Rousseff, o seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad são aguardadas para o evento.
"Teremos centenas de autoridades. Não temos um balanço dos nomes, mas a Dilma já se antecipou e declarou publicamente que estará presente", disse Renato Parente, jornalista que apresentou os detalhes do templo.
Parente disse que nenhuma pessoa poderá entrar no templo por conta própria. Quem quiser, vai precisar contratar o serviço de fretamento feito por ônibus.
Para pessoas de outras cidades e Estados o valor da passagem ainda não foi estimado pela mesma empresa de ônibus, cujo nome não foi revelado.
"É um preço que será cobrado pela empresa de fretamento, não é da igreja. Não é um ônibus de linha normal, é turístico", disse Parente.
O templo também vai ter um telão com 20 metros de comprimento (maior do que os telões dos estádios da Copa do Mundo) e 60 apartamentos para pastores convidados, além da residência oficial do pastor Edir Macedo, fundador da Universal.
A igreja também divulgou regras para o uso de roupas. Mulheres devem evitar o uso de minissaias e roupas curtas.
Para os homens, está vetado o uso de bermudas e de uniformes de clubes esportivos. Chinelos, camiseta regata, boné e óculos escuros também foram proibidos.
Contrapartidas
A autorização para o funcionamento do local foi emitida pela Prefeitura no dia 10, por meio da certidão de diretrizes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), documento que atesta que o empreendedor cumpriu as contrapartidas pelo fato de ser um polo gerador de tráfego.
Entre as obras que a igreja teve de realizar, estão a instalação de cinco semáforos em cruzamentos e o plantio de 25 mudas de árvores.

Outra contrapartida foi o rebaixamento de guias de cinco cruzamentos. O certificado de conclusão de obra ainda deverá ser solicitado. 

As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

domingo, 20 de julho de 2014

Equívocos ao lidar com nossos pecados



               Apesar de Jesus chamar pecadores (como você) para se achegarem a ele em busca de purificação, alívio e renovo, eu percebo que muitos de nós muitas vezes somos lentos ao buscá-Lo justamente por conta das coisas que nos deveriam apressar a procurá-Lo. Há muitas mentiras que somos tentados a acreditar que podem afetar nossa comunhão com Cristo. Aqui estão quatro às quais você deve estar atento:

1. “Esse pecado não é sério o suficiente para levá-lo a Jesus”

             Alguns de você consideram seus pecados, pelo menos alguns deles, como muito pequenos para levá-los até Jesus. Ninguém se machucou, sua fé continua intacta, então por que incomodar Jesus com isso? O problema é que a pequeneza atribuída aos seus pecados criou uma desculpa para que você fique longe do Salvador, ao invés de te lembrar que você precisar se manter sempre perto dEle. Seus pecados, não importa o quão hediondos, sempre demandam que você retorne – correndo – para o Senhor. Jesus morreu por conta desses pecados, pois só eles já são o suficiente para te condenar para sempre.
             Aqueles olhares de cobiça, palavras breves, mas grosseiras, uma atitude de indiferença perante outras pessoas, podem parecer pequenos, mas não só são dignos de condenação como são perigosos e tem o potencial de endurecer seu coração. Não tente diminuí-los, pensando que são insignificantes, mas enxergue-os como realmente são – uma ofensa a Deus e um perigo para sua alma – e corra para Jesus em busca de graça.

2. “Esse pecado é tão mau que eu não posso nem olhar para Jesus”

             Alguns de vocês sentem a severidade de suas transgressões tão agudamente que caíram em um tipo de paralisia espiritual. Alguns se sentem tão culpados por seus pecados que se sentem como se não pudessem sequer olhar para Jesus. Mas a nossa vergonha, que é bastante real, não deveria acabar conosco. Nossa culpa deveria nos voltar para o Único que pode lidar com ela; o Único que já lidou com ela.
             É uma mentira que nós acreditamos rapidamente, “é grande demais”. As implicações blasfemas são que Jesus seria pequeno, duro e rancoroso demais para lidar com as nossas transgressões. Mas quanto mais profundo o pecado, maior é a necessidade. Quanto mais abunda o pecado, a graça superabundará! (Rm 5.20). E a oferta de Jesus continua sendo a de graça livre e sem fim para todos os que vierem a ele! Lembre-se do que o Pai falou em Isaías 1.9: "Os seus pecados os deixam manchados de vermelho, manchados de vermelho escuro, mas eu os lavarei, e vocês ficarão brancos como a neve, brancos como a lã".

3. “Não me sinto mal o suficiente por meu pecado”

              Eu mesmo costumava crer nessa. Alguns de nós sentimos nossos pecados, mas não nos sentimos suficientemente culpados. Nós sabemos que nos falta o verdadeiro arrependimento piedoso por conta de nossa transgressão, portanto concluímos que qualquer “retorno” a Jesus nesse ponto seria hipocrisia. Eu não me sinto culpado o suficiente, então por que Jesus me aceitaria?
               Há pelo menos dois problemas aqui. Um é que aqueles que estão em Cristo já foram recebidos por ele. Não há nada bloqueando nosso acesso a Jesus! O segundo problema tem a ver com a fonte de nossa convicção e de nossa culpa. Por que você pensaria que você pode reunir remorso o suficiente pelos seus pecados sem se aproximar daquele que carregou sua culpa na cruz? Você realmente acredita que você pode enxergar e sentir a gravidade do seu pecado à parte de se achegar a quem sentiu o peso das trevas do seu pecado em seu lugar? Não, você só é capaz de encontrar arrependimento profundo e apropriado para os seus pecados quando você os vê à luz do Salvador!

4. “Eu não me purifiquei o suficiente ainda”

               Outra mentira que eu vejo muitos cristãos acreditarem é que nós precisamos nos limpara para nos encontrarmos com Jesus. Muitas vezes funciona assim: nós “estragamos tudo” de novo, caindo em qualquer pecado que parecemos lutar com tão poucas forças; a culpa bate forte, mas ao invés de nos voltarmos para Jesus, pensamos “antes que eu possa buscá-Lo, eu preciso primeiro me limpar. Só mais um dia de oração consistente, longe daquele pecado, e eu estarei pronto”. Mas isso é um tipo de justiça por obras. Isso é religiosidade baseada no quão limpos nós conseguimos nos fazer. Isso baseia nossa confiança perante Deus na nossa própria reforma pessoal, ao invés de na perfeita redenção de Jesus. Essa é uma mentira perigosa que só te levará para mais longe de Jesus. Você pensa que está se achegando a Ele quando está finalmente pronto, mas na verdade você está se distanciando dEle ao confiar em seu próprio desempenho.
               A verdade é essa: Jesus disse “o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (João 6.37). Não se demore em buscar Jesus. Não permita que qualquer sussurro do seu coração ou do diabo o leve a “enrolar”. Sua lentidão em vir a Jesus diariamente, em toda as horas, mesmo em face ao pecado, somente resultará em falta de comunhão com Ele. Ele está pronto para você agora. Corra!

"Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei" (Mt 11.28)

Fonte: ASSEM-BEREIA DE DEUS

terça-feira, 15 de julho de 2014

Reverência ao Senhor em tudo


Olá amados leitores...



Que a graça e a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo seja com todos..


Li uma reportagem essa semana onde "cristãos" estavam divulgando uma campanha de intercessão a Deus para que a seleção argentina de futebol fosse campeão da Copa do Mundo FIFA 2014. Algo incomodou-me muito pois uma semana atrás, vi uma fotografia de um "pastor" debruçado sobre uma Bíblia, intercedendo ao Senhor Deus Todo Poderoso em favor da seleção brasileira de futebol e pedindo vitória em uma partida. Acho que Deus não ouviu a oração deste "santo homem de Deus" porque a seleção levou um verdadeiro "pacote" da seleção alemã e foi desclassificada para a fase final do campeonato.
Não estou defronte o notebook para perder meu tempo em falar sobre as coisas desse mundo, mas sim, para tentar chegar junto com vocês a uma conclusão a respeito de como o povo de Deus tem usado o nome do Senhor Deus em vão.
Eu me recordo de que quando eu era criança, meu avô e meus pais sempre me falavam, quando eu falava alguma coisa e colocava Jesus ou Deus em meio a uma conversa, que eu não podia fazer isso pois Deus não se agradava de tal feito. Naquela época mesmo eu fiquei intrigado com isso, então eu fui buscar na palavra um esclarecimento maior e encontrei esse texto:


"Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão".
                                                       Ex. 20.7


Eu sei que hoje as coisas são bem mais fáceis. Jesus veio à Terra, morreu em nosso lugar, abriu as portas até Deus onde eu e você podemos nos aproximar, falar diretamente com ele. Só que o fato de o véu ter se rasgado e aberto a comunicação direta ao Pai, não quis dizer que poderíamos avacalhar a esse ponto. A reverência
ao nome do Senhor tem sido deixada de lado. Os cristãos tem se esquecido que quando invocamos (chamamos, suplicamos, conjuramos, recorremos a, apelamos para) o nome de DEUS, estamos nos referindo ao maior Ser de todo o Universo, Aquele que criou todas as coisas, que tem poder para mantê-las.
Essa palhaçada de ficar colocando Deus em coisas que são totalmente mundanas é uma total falta de
sabedoria e conhecimento.
Gente, a própria palavra diz que Jesus não mudou e declara que Ele continua e continuará sendo o mesmo (Hb13.8).
Deus  continua o mesmo e com o mesmo pensamento que tinha quando deu as leis para Moisés divulgar ao povo e para serem seguidas. A sorte desse tipo de "cristão" é que Jesus está intercedendo por eles junto ao Pai e impede que ira dEle se manifeste e um raio os parta ao meio ou o chão se abra sob seus pés.
Entre os modernos judeus ortodoxos o nome do Senhor é considerado tão sagrado que se considera blasfêmia pronunciá-lo. Hoje eles costumam chamar o Senhor de "Hashem", que em hebraico significa simplesmente “o Nome”.
Muitos não reverenciam o nome do Senhor, usando-o em juramentos e impropérios (Lv 19.12).
Alguns tomam o nome de Deus em vão na sua linguagem frívola e insincera dizendo: "se Deus quiser..." quando não manifestam nenhum respeito pelo que
Deus quer (Tg 4.15,16; Mt 7.21).

Amados, tenhamos um pouco mais de respeito a Deus, ao seu nome que é poderoso para curar, libertar e salvar, bem como as coisas relacionadas a Ele. Vamos nos aprofundar um pouquinho mais na Palavra e buscar a santidade pois Deus é Santo e não deixa escarnecer (Gl 6.7).

Deseje bençãos sem pecar. Quer torcer para o seu time, pode fazer isso tranquilamente desde que você não coloque o nome de Deus no meio e que esse seu time não tome o lugar de Jesus em seu coração.

Santidade... Santidade.. pois Deus é Santo!

Ósculos e amplexos a todos !!

quarta-feira, 9 de julho de 2014

BANCADA EVANGÉLICA VERGONHOSA



É a pergunta que martela em minha cabeça desde percebi que a aprovação da Lei da Palmada contou com participação ativa da Bancada Evangélica.

              Estou tentando entender se esta contribuição dos membros da Bancada é apenas expressão de sua omissão diante dos avanços do Estado sobre a sociedade civil ou se é algo pior.
Não sei os motivos para tal capitulação. Porém, como diria o personagem de Guimarães Rosa, “eu quase que nada não sei, mas desconfio de muita coisa”. Há tempos desconfio de muita coisa sobre nossos atuais supostos representantes.Desconfio das atitudes. Desconfio das posturas. E tudo isso me leva a desconfiar que existe uma abismal diferença entre o que a Bancada diz e o que ela faz, de fato, no Congresso.
            Para mim, não foi tão surpreendente quando o presidente da Frente Parlamentar Evangélica (FPE), o deputado federal Paulo Freire, comemorou a aprovação da Lei da Palmada como se esta fosse uma vitória da própria Bancada Evangélica.
Nas tribunas da Câmara e do Senado, e diante das câmeras de TV, os parlamentares evangélicos esbravejam, gesticulam, esperneiam, enfim, proporcionam um espetáculo teatral que só perde em sentimentalismo para as novelas mexicanas.  Nos bastidores, contudo, desconfio que seguem orientações dos caciques de partidos. Mesmo quando isso significa votar em favor de projetos como a Lei da Palmada, que minam a liberdade dos indivíduos, a autonomia das famílias, os direitos dos pais sobre seus filhos, contribuindo para o aprisionamento da sociedade civil pelo Estado.
             Enquanto gritam na tribuna contra os projetos de leis polêmicos, na “hora H” acabam votando pela aprovação das mesmas leis. Não se sabe exatamente o motivo. Mas desconfio que os seus partidos negociem tudo por boquinhas em ministérios e estatais.
Não quero ser injusto. Nem todos os parlamentares evangélicos se encaixam nesse modelo de oportunismo da Bancada. Há exceções honrosas como o deputado pastor Eurico.
Ele quase foi engolido vivo por seus colegas de Bancada Evangélica quando ousou questionar a presença de uma ex-atriz pornografia na sessão da Comissão de Constituição e Justiça que discutia um projeto de lei supostamente benéfico para as crianças.
          É claro que, durante a campanha eleitoral, eles se apresentarão ao povo como heróis da resistência.
 Quando falou do filme pornográfico que aquela senhora havia protagonizado, no qual ela se deita nua com uma criança, o pastor Eurico foi abandonado pelos colegas evangélicos.
Eis o que desconfio de muitos membros da Bancada Evangélica: passam três anos reproduzindo um discurso apocalíptico sobre o fim das igrejas e demonizando adversários. E depois esquecem tudo para subir no palanque dos supostos “demônios”.
Apesar da enorme influência política que exercem dentro e fora do Congresso, desconfio que os deputados evangélicos colaboram ativamente para a aprovação de projetos absurdos como a Lei da Palmada em nome de interesses outros. Ninguém os obriga. A ex-atriz pornográfica presente na sessão que resultou na aprovação da Lei da Palmada estava desarmada.
          Todas essas derrotas só podem ser explicadas pela covardia ou pela incompetência. Mas a incompetência sistemática, em um período de quatro anos, aponta mais para a hipótese de fraude, no sentido de se fazer precisamente o contrário do que se diz.
As vitórias “da Bancada”, como a retirada da Ideologia de Gênero do Plano Nacional de Educação, se explicam pela forte pressão de cidadãos comuns, católicos e evangélicos, que brigam para que os deputados que se dizem cristãos ajam, de fato, como cristãos. Eles ligam nos gabinetes, enviam emails, cartas, cobram suas lideranças. E fazem mais. Todas as sessões que avaliam projetos polêmicos recebem a visita providencial de cristãos oriundos dos mais distantes rincões do Brasil que chegam ao Congresso para garantir que os parlamentares que dizem defender a família não aprovem projetos contra a família.
          Quando a pressão do povo cristão se faz sentir aqueles covardes parlamentares evangélicos que abandonaram o pastor Eurico acabam fazendo a coisa certa. Desconfio que sem a pressão do povo cristão aqui fora, a Bancada Evangélica teria sempre mãos de Pilatos.

Fonte: www.juliosevero.blogspot.com.br

terça-feira, 8 de julho de 2014

Jean Wyllys afirma que cristãos brasileiros são fundamentalistas e racistas


                O deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ) publicou um artigo criticando o que definiu como “fundamentalismo cristão à moda brasileira” que estaria oprimindo gays e adeptos de religiões minoritárias, como as de matriz africana.
Citando casos de conflito suscitado por questões religiosas e pichações contra gays em muros, Wyllys atribuiu a autoria intelectual desses episódios a líderes cristãos: ”Não se iludam que esses sejam casos isolados, sem relação entre si. Muito menos que correspondam a agonias privadas. Os episódios citados acima são expressões do fundamentalismo cristão e o têm como causa”, disparou.
                No artigo, publicado em sua coluna no site da revista Carta Capital, o deputado afirma entender “o incômodo que a expressão ‘fundamentalismo cristão’ possa trazer à maioria dos cristãos brasileiros”, mas afirma que a defesa de princípios feita por muitos pastores é errada e atribui toda a perseguição sofrida por adeptos da umbanda e do candomblé aos seguidores de Jesus Cristo: “No caso do fundamentalismo cristão à moda brasileira, este se materializa na difamação e perseguição sistemática da comunidade LGBT e de outras religiões, sobretudo as de chamada ‘de matriz africana’ (a umbanda e o candomblé), já que, em relação a estas, ainda há um viés racista por serem religiões ‘de negros’”, disparou, acusando evangélicos e católicos de racismo.
                   Referindo-se à campanha de boicote à novela Em Família feita por evangélicos em protesto ao beijo gay exibido pela Globo, Jean Wyllys diz que “o proselitismo fundamentalista tem saído dos púlpitos e vigorado nas redes sociais” e também “na política”, formando “bancadas que se notabilizam pela intolerância e ignorância, mas também pelas faltas às sessões, ineficiência e problemas com a justiça”.
        Por fim, Wyllys tenta atrair a simpatia daqueles a quem atacou: “Conclamo os cristãos não-fundamentalistas, católicos e evangélicos, a reagirem ao fundamentalismo; a virem a público deixar claro que esses líderes fundamentalistas não lhes representam; e a se unirem aos adeptos de religiões minoritárias e ateus na defesa da laicidade do Estado; da diversidade cultural e da cultura de respeito aos diferentes”.

Fonte: www.noticiasgospel.com.br

sexta-feira, 4 de julho de 2014

RADICAIS ISLÂMICOS INVADEM ALDEIA CRISTÃ E CRUCIFICAM NOVE PESSOA

cristao-crucificado-siriaO Observatório Sírio dos Direitos Humanos vem divulgando constantemente os horrores da guerra na Síria. Tendo se iniciado há mais de três anos, já resultou em 162 mil mortos e mais de nove milhões forçados a saírem de suas casas.
No embate entre as forças do governo e os rebeldes, de duas facções islâmicas distintas, os cristãos foram pegos no fogo cruzado e são o grupo que mais sofre nessa guerra. Quando os rebeldes invadem as aldeias e cidades cristãs da Síria, geralmente punem seus moradores por não servirem a Alá e por serem aliados do governo do presidente Bashar al-Assad, que nunca perseguiu os cristãos do país.
Os guerrilheiros do exército do Estado Islâmico no Iraque e na Síria (ISIS), vem chamando atenção da mídia internacional pelas demonstrações de crueldade nesta guerra. Seu objetivo declarado é criar um estado islâmico em áreas sunitas do Iraque e na Síria.
No último final de semana, deram dois sinais claros que as coisas estão saindo de controle novamente. Após as eleições recentes, esperava-se que o ritmo da guerra diminuísse e a paz fosse negociada.
Porém, foram divulgadas imagens da ação do ISIS na província cristã de Aleppo, no norte do país. Nove homens foram crucificados em público. A acusação era de apostasia (afastar-se da verdadeira fé muçulmana). Um deles, que não teve seu nome divulgado, conseguiu sobreviver depois de ficar crucificado por oito horas. Ele contou que foram torturados após os jihadistas invadirem sua aldeia, e condenados a pagar por sua falta de fé.
cristaos-crucificados-siria
Os corpos dos demais homens ficaram na praça principal da vila por três dias, como um sinal de força do ISIS. No início do mês passado, foram divulgadas imagens de cristãos sendo crucificados por soldados do ISIS na cidade de Raqqa.
Neste domingo (29), uma gravação postada na internet anunciou para o mundo que os jihadistas do ISIS estão restabelecendo o califado. Esse regime político, desaparecido há um século, significa na prática que seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, agora é o califa, e portanto será o líder dos muçulmanos em todas as partes do mundo.
Segundo o que essa organização terrorista, que nasceu no seio da Al-Qaeda, tem divulgado, pretendem instituir um regime fundamentalista islâmico em todo o Oriente Médio e norte da África. Isso pode ser visto como uma declaração de guerra a Israel, a quem eles prometeram aniquilar. Também pode ser encarado como uma ameaça real a todos os cristãos que vivem nessas áreas.
Fonte: www.jornalathos.com.br